Cabos de aço do elevador: Quando o condomínio deve autorizar a sua troca?

Imagem mostrando Condomínios em Dúvida sobre a substituição dos cabos do elevador

Todo condomínio possui uma empresa que é legalmente responsável pela manutenção e segurança do elevador do prédio.

Se por um lado isso é bom, por outro lado essa condição pode trazer situações de conflito entre a empresa de manutenção e os donos do elevador.

A situação que você vai conhecer hoje é sobre a necessidade de troca dos cabos de tração do elevador.

Muitas vezes, acontece assim:

O elevador está funcionando normalmente.

Um dia, a empresa responsável comunica ao condomínio que vai ter de paralisar o equipamento, devido à uma condição de risco encontrada.

Afirma que os cabos de tração do elevador chegaram a um estágio final de desgaste e precisam ser trocados, ou pode ocorrer um acidente ali.

Envia então um orçamento de serviço no valor de 25 mil, até 100 mil reais, a depender do caso.

Como o equipamento está na responsabilidade técnica da empresa, pode também alegar que é uma obrigação eles interditarem o uso do elevador até que o orçamento seja aprovado.

O condomínio não está preparado financeiramente para realizar o serviço.

E, antes disso, o condomínio nem sequer sabe se este orçamento é tecnicamente justificável, ou foi feito devido a uma pressão por vendas de serviço dentro da empresa.

O quê fazer neste caso?

Foto mostrando uma máquina de tração na casa de máquinas do elevador, e os cabos passando pela polia.

Se você recebeu um orçamento deste serviço, verá que é um procedimento que representa alto custo para o condomínio.

E esse tipo de conflito ocorre com uma frequência maior do que você pode imaginar.

Como eu trabalho neste mercado há muito tempo, sei que neste momento aparece uma série de dúvidas por parte do condomínio com relação à necessidade de execução do trabalho.

Afinal, todos imaginam que os cabos do elevador são componentes relacionados diretamente à segurança.

Mas será que existe risco real dos cabos de tração se romperem e causarem um acidente?

O que pode acontecer se o condomínio não aprovar este orçamento?

Qual que é a postura correta que o condomínio deve adotar nessa situação?

É justamente por isso que eu resolvi pessoalmente escrever este texto. Para auxiliar você que está passando por uma situação deste tipo em seu condomínio.

As informações que eu irei te apresentar tem relação com a minha experiência prática de muitos anos na área.

Por ser um engenheiro perito, eu já assumi a responsabilidade técnica pela avaliação de cabos em elevadores.

E eu acredito que após ler este texto, você estará plenamente preparado para lidar corretamente com essa situação.

Você sabe que deve agir com responsabilidade, transparência e gestão correta dos gastos do condomínio.

E ao mesmo tempo, não quer comprometer com a segurança de ninguém.

Por isso, eu encorajo você a compartilhar este conteúdo com todos os outros condôminos que estejam envolvidos na resolução desta situação.

Sei que certamente vocês serão capazes de resolver esta situação da melhor forma possível.

Não há dificuldade. E também não há razão para pânico.

Antes de começarmos, vai uma dica valiosa.

Você está em um condomínio que recebeu um orçamento de troca de cabos de tração?

Se sim, faça contato agora com a equipe do meuelevador.com por aqui.

Você irá receber uma ajuda altamente especializada, sem custos.

Não tenha medo. É só utilizar este link ai em cima, e você estará muito mais perto de resolver o problema dos moradores do seu prédio da melhor forma possível.

Agora vamos mergulhar neste assunto, para você garantir a segurança das famílias que moram no seu prédio, e economizar o máximo no orçamento do seu condomínio.

Manual do Síndico: Um manual gratuito para o seu condomínio sempre saber o que fazer com o elevador. Baixe agora!

Os cabos de tração suspendem a cabina e movimentam o elevador

Para começar, vamos primeiro entender o que são os cabos de tração e como eles trabalham dentro do conjunto do elevador.

Lembre-se que um entendimento básico sobre o elevador é necessário para a gestão correta do contrato de manutenção.

Neste caso é simples: os cabos de tração suspendem a cabina e movimentam o elevador.

Eles passam pela polia da máquina de tração, e também suspendem o contrapeso.

Este desenho esquemático mostra a cabina, a máquina e o contrapeso do elevador interligados pelos cabos de tração.

O giro da polia da máquina de tração é o que movimenta o elevador para cima ou para baixo.

Cada elevador utiliza entre 3 e 8 cabos de tração.

É permitido que o número de cabos seja definido de projeto para projeto de elevador.

Mas é comum que a quantidade de cabos usados varie entre 3 e 8.

A norma técnica de segurança em instalação exige o uso de no mínimo de três.

Esta máquina, no Rio de Janeiro, utiliza 4 cabos de tração.

Um único cabo de aço (1/2″) é capaz de sustentar muita carga: até 7,5 toneladas

O cabo de tração é um componente mecânico incrivelmente resistente a cargas de tração.

Um único cabo de aço de meia polegada (1/2″) é capaz de sustentar 7,5 toneladas.

É verdade que um único cabo deste consegue sustentar toda a carga do elevador.

Para obter tanta resistência, ele é feito a partir de fios de arame entrelaçados.

Os fios de arame são torcidos e formam as pernas do cabo.

As pernas são enroladas em uma corda de fibra, chamada de alma, que dá sustentação, flexibilidade e armazena a lubrificação do cabo.

Os cabos não custam muito caro.

O custo de um cabo não é tão alto.

Um rolo com 200 metros de cabos de tração (1/2 “, 8x19S), próprio para elevador, pode ser comprado por aproximadamente 3,5 mil reais junto a um fornecedor.

Rolo de cabo de aço,

A limpeza e lubrificação periódica do cabo é fundamental para a sua conservação

A lubrificação é quem protege de oxidações e reduz os desgastes.

Os cabos precisam de ser limpos e lubrificados com periodicidade para terem grande vida útil.

A manutenção têm feito isso?

Muitos prédios perdem os seus cabos de aço muito antes do tempo, por não conferir se este simples serviço está sendo realizado.

Se estiverem montados com problemas, os cabos vão durar muito menos tempo.

Os cabos dividem a carga entre eles.

Quando um cabo está mais tensionado e o outro mais frouxo, causa desgastes que reduzem a vida útil.

Cabo de aço do elevador desbalanceado

Alguns montadores deixam os cabos colidindo com a laje do chão. É claro que ele será descartado antes.

cabos de aço do elevador roçando na laje

Se os seus cabos estão indo ser descartados antes do tempo, você deve procurar irregularidades como estas, que permitem que você renegocie o valor.

Afinal, houve uma falha da instalação e manutenção envolvidas.

De quanto em quanto tempo deve ser feita a troca dos cabos?

É razoável dizer que cabos que foram montados errados podem ter vida útil tão baixa como 5 anos.

Enquanto isso conjuntos bem montados, que sejam bem conservados ao longo do tempo, possam durar mais de 40 anos.

Fatores como a carga e intensidade de uso do elevador também influenciam em sua vida útil.

No mercado, é comum se dizerr que os cabos devem ser trocados a cada 15 anos.

Mas essa crença é equivocada.

Ao serem fabricados, os cabos e polia de tração não possuem vida útil estipulada.

O risco de os cabos arrebentarem e o elevador cair é muito baixo

Muito se fala sobre o perigo do elevador cair.

Em termos práticos, é muito improvável que isso aconteça pelo rompimento dos cabos.

Por exemplo, em um elevador possui 8 cabos de tração, cada um deles é individualmente capaz de suportar toda a carga do conjunto.

Isso porque a a norma de segurança exige o fator de segurança de 12 para este componente.

Mesmo no caso de Santos em 2019, em que houve de fato um acidente, os cabos não se romperam. E sim, os componentes de fixação.

Afinal, se os cabos quase não possuem risco de se romper, quando é que o condomínio deve autorizar a sua substituição?

O condomínio deve autorizar a substituição quando a vida útil da polia e dos cabos está perto do fim.

Com o desgaste acentuado da polia de tração, pode ser que o elevador passe a ter mal funcionamento.

Os cabos deslizam na polia.

E se os cabos estão com uma condição de desgaste muito acentuada, também pode comprometer o funcionamento.

Um perito independente pode melhor atestar sobre a condição dos cabos do que a própria empresa

A empresa atesta a necessidade de troca do conjunto, e é ela mesma quem vai faturar 25 mil reais com o serviço.

Este é o maior problema neste tipo de situação.

O condomínio não tem como saber se a empresa está motivada tecnicamente, ou querendo faturar com o serviço.

E é por isso que um perito que não seja da empresa é uma melhor referência para a decisão.

Pela minha experiência, contar com a assistência de um especialista neste caso é muito vantajoso financeiramente para o condomínio.

Por isso, se você está com um orçamento em mãos, faça contato por aqui agora.

Nós te ligaremos para uma consultoria gratuita para a situação. Sem compromisso.

Se você não tiver a assistência de um perito, faça isso.

Acredito que a esse momento você já solicitou um contato conosco.

Se não tiver feito, faça agora no link acima. Eu espero.

Mas, no caso de você não conseguir nos trazer ao seu prédio, eu vou dar algumas sugestões para lidar com essa situação.

Não entre em pânico

A primeira coisa que deve estar clara é a noção de urgência deste tipo de serviço.

Com as informações que eu já te passei sobre segurança, acalme as pessoas.

É o primeiro passo.

O cabo ou polia não entra em condição de risco de uso seguro da noite pro dia.

É uma evolução de desgaste e danos que dura anos.

Tente verificar a real necessidade de execução do serviço de outras formas

Exija da empresa de manutenção um laudo fotográfico mostrando claramente as falhas que impedem o funcionamento seguro.

É comum a empresa fazer esta comunicação por meios informais.

Portanto exija a comunicação formal e documentos timbrados.

E exija que seja apresentado claramente os critérios utilizados.

E exija a assinatura do engenheiro responsável pela condenação do cabo.

Critérios objetivos que determinam que os cabos e polias devem ser substituídos

  • Redução excessiva de diâmetro do cabo (aprox. 10%)
  • Localização e concentração de fios partidos
  • Intensidade de desgaste por abrasão
  • Corrosão acentuada
  • Danos à alma dos cabos
  • Distorções e deformações da estrutura
  • Desgaste acentuado das ranhuras das polias

Todos estes critérios, dependendo a intensidade com a qual se apresentem, podem resultar na condenação de um cabo.

Critérios que não determinam a substituição do cabo

  • Idade do cabo.
  • Existência de alguns fios partidos. (não atingindo valores de risco)

Uma vez determinado que realmente deve-se fazer a substituição dos cabos, o custo tende a ser elevado.

O serviço inclui a desmontagem dos cabos e das polias, o fornecimento de cabos novos e polias novas, montagem destes e ajustes finais.

Mas não é por isso que o condomínio deve aceitar qualquer valor proposto.

Você deve verificar se o orçamento que você recebeu se encontra compatível com o preço de mercado.

Faça orçamentos com fornecedores de peças

Para ter referência sobre os valores dos materiais que você está indo comprar é válido tirar orçamentos com fornecedores de peças.

Tipicamente serão orçamentos de cabos de tração e polias.

Fornecedores como Acrocabo e Vonder podem enviar cabos de tração para condomínios.

Lojas como a Casa do Elevador podem enviar peças de polia de tração.

Faça o orçamento do serviço com outra empresa de manutenção

Orçar preços da troca dos cabos de tração com outras empresas de manutenção para fazer comparação de valores também é válido.

E é ainda mais fácil de ser feito do que com fornecedores de peças.

Se você já tiver recebido o orçamento para esse serviço, é bem possível que as informações necessárias já estejam contidas no documento.

Se não estiverem, você vai precisar apresentar à empresa as seguintes informações:

  • Número de cabos.
  • Diâmetro dos cabos. (Essa informação costuma estar afixada na máquina de tração ou na parte superior da cabina)
  • Número de pavimentos do edifício.
  • Foto da máquina de tração.

Com essas informações em mãos, qualquer empresa será capaz de te apresentar um orçamento do serviço.

Lembre-se que você pode solicitar a visita de um técnico da empresa proponente ao edifício se ainda não possuir essas informações.

E se o condomínio acreditar ser o caso, é perfeitamente possível rescindir o contrato de manutenção e realizar o serviço com outra prestadora.

Conclusão

Nesse post te mostrei o que são os cabos de tração do elevador e expliquei quando você deve autorizar sua troca.

É muito importante que os síndicos e administradores de condomínios saibam qual a real necessidade de troca dos cabos de tração.

Assim, podem evitar acidentes. E também evitar despesas desnecessárias.

Muitas vezes a empresa coloca uma urgência sem apresentar documentos descrevendo as medições feitas para a necessidade de troca.

Se você estiver em dúvidas quanto a troca dos cabos de tração do seu edifício, não deixe de entrar em contato por aqui.

E deixe um comentário se este texto te ajudou! Até logo.

31 comentários em “Cabos de aço do elevador: Quando o condomínio deve autorizar a sua troca?”

      1. Pedro gostei muito das suas explicações. Claras e objetivas.
        Infelizmente, como você sabe, esse mercado de elevador é uma máfia. Não informam nada, as manutenções mensais são uma vergonha, os orçamentos para a realização dos serviços não especificam nada e ainda ficam aborrecidos quando você pede mais informações e esclarecimentos.
        Até para trocar a empresa de manutenção é complicado. Sai de uma e entra numa pior. No início tudo são flores depois cai na mesma situação.
        Muito obrigado.
        Valeu muito as suas informações.

        1. Romulo Marques

          Obrigado Almir!

          Infelizmente, muitas empresas não têm apresentado ao mercado a seriedade e transparência necessária para este tipo de serviço.

          Neste texto, tentamos trazer a luz informações simples. Mas que muitas vezes são passadas de forma errada para o condomínio.

    1. Obrigada pelas informações bastante esclarecedoras, no entanto continuo com uma dúvida. Sou síndica de um edifício de 22 andares, a empresa que faz a manutenção disse que há necessidade da troca dos cabos de aço do elevador. Ele possui 6 cabos , estão querendo trocar todos que são 980 m de cabo de aço .Minha pergunta é: é possível trocar só o cabo de aço que está com defeito ou é obrigado a trocar todos os 6 ?? O argumento da empresa que tem que trocar todos!!!
      No aguardo de uma pronta resposta.Grata Esther

      1. Romulo Marques

        Olá Esther! Tudo bem? É muito importante que quando foram instalados, os cabos tenha a carga bem distribuída entre eles (boa equalização de tensionamento), para que o desgaste se distribua bem ao longo dos vário cabos e eles durem muitas décadas. Quando isso não ocorre, é comum que somente um dos cabos sofra um desgaste muito mais intenso do que os outros, levando ao descarte prematuro.

        Infelizmente, na maior parte das vezes, quando um dos cabos vai ser trocado é necessário trocar todos eles. Um cabo novo possui uma elasticidade inicial muito maior que cabos antigos (que já esticaram). Quando um cabo novo é instalado, ele passa por um processo de acomodação nos primeiros meses, esticando um pouco. Devido a este processo, quando um cabo novo é instalado com outros antigos, ele tende a causar um desbalanço entre o tensionamento dos cabos. Por consequência, leva ao desgaste acelerado de todos eles. Por isso, costuma ser mais vantajoso trocar todos juntos e o sistema irá ter muito mais vida útil.

        Espero ter conseguido te responder. Qualquer coisa, faça contato por um formulário aqui no nosso site. Grande abraço, Rômulo.

  1. HAMILTON CAMARGO

    Olá Romulo.
    Muito interessantes e esclarecedores seus comentários.
    Ontem recebi o seguinte laudo da manutenção. “Cabo de tração fora da polia do contrapeso”. Será defeito na manutenção?

    1. Romulo Marques

      Olá Hamilton, tudo joia? Fico feliz que tenha gostado dos comentários. O cabo de tração estar fora da polia do contrapeso é uma irregularidade grave, e o elevador não pode funcionar nessas condições. É possível que seja defeito na manutenção, ou mais provavelmente na montagem do conjunto. É preciso fazer uma avaliação técnica no local para se ter certeza. Grande abraço, Rômulo.

  2. Cesar N Lunardi

    Parabéns Romulo Marques , profissional abençoado , pela dedicação e explanação sobre essa Matéria Elevadores . Após longos anos apanhando , toda vez que fui escolhido como Sindico e ter tido de aprender na raça e que em muitas vezes confesso não ter sucesso . Explanação Tecnica brilhante muito fácil de ser entendida o que nos municiou de informações a serem discutidas por ocasião de cada evento . Obrigado amigo sucesso em sua vida Profissional…..

  3. Geraldo Bergamini

    Romulo ……… Parabéns pela informação técnica…entendi perfeitamente..

    Você demonstrou ser imparcial ,mas extremamente técnico e conhecedor profundo do assunto
    Muito obrigado

  4. Vania Vasconcellos

    Parabéns Rômulo excelente trabalho, eu tinha tofas essas dúvidas e mais uma que gostaria de lhe perguntar. Quanto tempo é necessário para realização da troca dos cabos?
    Sou moradora de um prédio de 8 andares, sem ser avisada, sem ter visto movimento menhum e principalmente sem paralisação do elevador, no balancete do mês, veio debitando 2.000,00 reais, sendo a primeira de 11 parcelas, pela troca de cabo do elevador.

    1. Obrigado, Vânia! Que bom que conseguimos tirar várias dúvidas suas. A duração do serviço vai variar de caso a caso. Mas, uma vez que todo o material já está no edifício, podemos esperar que ele seja feito em poucos dias. Em menos de uma semana, eu diria.

  5. Parabéns por compartilhar seus conhecimentos.
    Sabemos que tem muitas empresas e profissionais que não tem o mínimo de ética quando se trata de dinheiro e você conseguiu dar as orientações que muitas pessoas nem imaginavam.
    Vou guardar estas dicas e compartilhar.
    Um forte abraço.

    1. Olá Silmara,

      Geralmente a substituição é feita em conjunto, pois as polias antigas podem ser prejudiciais e gerar um desgaste maior aos novos cabos. Mas isso não é uma obrigatoriedade, por isso é interessante fazer uma análise cuidadosa para tal definição.

      Espero ter ajudado.
      Um abraço!

  6. Nossa empresa nos disse que tem óleo no cabo limitador e isso significa que está desgastado. $7.000,00 para trocar. Também falaram que há um vazamento de óleo que seria bom arrumar, mais $7.000,00. Tem sentido?

    1. Romulo Marques

      Olá Jeffrey, tudo bem?

      Olha, estes são dois problemas que tem consequências de segurança e uso do elevador. O óleo no cabo do limitador é um problema grave de segurança que deve ser resolvido o quanto antes. E o vazamento deve ser avaliado suas proporções. Se ele for muito pequeno, às vezes não é necessário solucioná-lo. Porém se estiver comprometendo a operação ou manutenção do equipamento, é bom ser corrigido. Quanto aos preços, o ideal é procurar orçamentos com empresas concorrentes e avaliar. Grande abraço, Rômulo.

  7. Romulo, Boa tarde. Tenho ap, em um predio recem construido com elevadores da tk, estao instalados ha 1 ano e 3 meses, recentemente a empresa que temos contrato de manutenção para limpeza, ajuste e regulagens…. ( sem peças) enviou um orçamento exorbitante para fazer a equalização dos cabos. Entendo que esse serviço está no contrato, não? ja que se trata de uma regulagem nos cabos de aço para manter a tensao igual neles…. qual é sua opinião como engenheiro da área? Obrigada

    1. Romulo Marques

      Olá Francienne! Penso que o comprador do elevador tem o direito de recebê-lo montado adequadamente. A falha na equalização dos cabos é um erro típico da montagem e acredito que a empresa que montou o elevador deve corrigir essa falha sem custo adicional ao comprador.

  8. paulo sergio rigueti

    Olá Romulo. Sou sindico (prédio comercial), 9 andares, Marília/SP, faz 26 anos. Eu estava a procura de informações de preço sobre encurtamento dos cabos para tomar decisão confortável de que não faria bobagem aceitando de cara o preço da minha contratada de partido. Foi quando dei de cara com o seu artigo sobre troca dos cabos (os dos 2 elevadores do meu prédio, 30 anos, estão bem satisfatórios). Muito bom mesmo o seu escrito, didático, denso (escrever pouco e dizer muito é notável fundamento da boa didática). Sou advogado, sei bem disso. Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima